Neymar diz que teve medo de assumir para os pais que teria um filho: "Foi aquele chororô"



Fonte: UOL


Que Neymar é o principal jogador do futebol brasileiro e uma figura com extremo apelo midiático, todos sabem. Agora, detalhes dos bastidores da vida do craque, que mostram um lado mais 'comum' de sua personalidade, nem sempre vem à tona.

Mas ele acabou revelando, em reportagem divulgada pelo programa Esporte Espetacular, da Rede Globo, alguns desses acontecimentos que mexeram bastante com sua vida. Assumir a paternidade, por exemplo. Neymar contou que foi muito difícil dizer a verdade para os seus pais, dizer que a partir daquele momento, eles seriam avós.

"O impacto foi grande. Eu não sabia o que fazer, mas disse para ela [mãe de seu filho] que se fui homem pra fazer, seria homem para assumir", falou Neymar. Lembrou também de como sua mãe recebeu a notícia: "Era uma coisa que não estava programada. Falei pra minha mãe, aí foi aquele chororô. Só que não conseguia falar com meu pai, para ele eu não conseguia".

Apesar da dificuldade inicial, hoje Neymar tem uma relação muito íntima com seu filho Davi Lucca. "Hoje é a minha alegria, a minha felicidade. Eu gosto de estar sempre com ele", falou emocionado.


Neymar também relembrou o episódio com Dorival Júnior, no qual o atacante discutiu com o treinador dentro do campo por não ter conseguido permissão para bater um pênalti. Depois do episódio, Dorival acabou demitido do Santos. "Eu errei, mas aprendi bastante naquela situação, como pessoa e como profisional. Foi um momento de nervosismo, eu só queria ajudar", explicou.

Ele também disse que se sente culpado pelo ocorrido: "Apesar de todo mundo falando que não tinha eu não tinha nada a ver, eu me senti culpado. Fiquei triste porque é uma pessoa que gosto muito". "Foi o dia que mais chorei na vida, fiquei arrasado. Minha mãe disse que o menino que fez aquilo não era o filho dela, com o que ela tinha ensinado. Fiquei arrasado mesmo. Mas aquele dia me fez crescer", completou ao lembrar que seus pais não aprovaram sua atitude.

Outro assunto abordado pelo craque santista foi sua permanência no Santos. Ao ser perguntado se ele se imaginaria o resto da carreira jogando na Vila Belmiro, ele não descartou: "Quem sabe? Eu penso nisso. Minha casa é aqui, eu me sinto bem à vontade".

Além disso, lembrou de como se sentiu quando foi conhecer a estrutura do Real Madrid - clube que já estava interessado no seu futebol -, ainda adolescente: "Nos dois primeiros dias eu queria ficar, estava emocionado em estar lá. Mas depois eu comecei a sentir saudade daqui, da família, dos amigos, do colégio... Aí pedi pro meu pai para voltarmos".

Comentários